sábado, 21 de agosto de 2010

Viajar de trem pela Itália - a experiência



Por Gustavo Bonelli

Sempre que alguém fala em ir à Europa, viagem de trem é uma das primeiras coisas que nos vem a cabeça. Talvez por não ser muito a nossa realidade, ou pela proximidade de vários destinos cobiçados, viajar de trem parece a solução para juntarmos a experiência de algo diferente à possibilidade de fazermos valer cada centavo da nossa passagem para o Velho Mundo. Mas a história não é tão simples assim.

Viajar de trem pela Europa tem muitas vantagens e pra mim a principal delas é a facilidade de acesso às estações, normalmente localizadas no centro da cidade. Isso gera uma grande economia de tempo, não só no deslocamento hotel-estação mas também no tempo que você permanece nela. Mas ao contrário do que muita gente pensa, essa facilidade toda tem um preço. Viajar de trem nao é barato, principalmente depois da entrada das empresas low-cost que oferecem passagens aéreas por até 1 euro (mais taxa de embarque).




Quando fomos para a Itália, para passar o Natal e o Reveillon de 2009/10, decidimos fazer todos os trechos entre as cidade de trem. Roma-Florença-Veneza-Milão-Roma. Tudo com dia e hora marcados, numa época de festas em que não poderíamos correr o risco de perder um dia se quer. Aí começou a pesquisa.

A primeira opção era comprar no site da Trenitalia, empresa estatal italiana de transporte ferroviário (www.trenitalia.it). Mas dessa forma teríamos que comprar as passagens separadas e sairia muito mais caro. Optamos entao por comprar um passe válido para viagens dentro de um país no site da Eurail (www.eurail.com) . Existem outras combinações que permitem viajar por até 21 países.

Bom, o passe pela Itália tem validade de 2 meses e pode ser usado por 3-10 dias dentro desse período a partir da primeira viagem. Escolhemos o de 4 dias que custa hoje 172 euros por pessoa. Existe uma opção com desconto de 15% para 2 pessoas ou mais se comprarem juntas. Menores de 26 anos podem optar pelo youth pass. Os preços online são 20% mais baratos que os comprados na estação. Os bilhetes podem ser de primeira ou segunda classe. Em termos de conforto, não há muita diferença, mas aqueles que tem bilhete de primeira classe tem prioridade no embarque em trens que nao tem reserva.

Reserva? Mais uma coisa a resolver. Sim, porque o passe não é a passagem em si. Você ainda precisa reservar seu lugar antecipadamente no trem que deseja pegar ou ir direto ao guiche para emitir um bilhete para o trecho que quer viajar. Não sei se era a época, mas todos os trens que íamos pegar tinham reserva obrigatória. Pra fazer a reserva temos duas opções, ir a Trenitalia pessoalmente ou usar o serviço da Deutsche Bahn.

Descartamos a primeira pois parecia arriscado deixar pra fazer essas reservas já na Itália. Usamos a Deutsche Bahn mas não foi muito simples. A princípio eles só fazem reserva pelo telefone por questões de segurança, mas depois de alguma insistência consegui fazer por email (sales@bahn.co.uk). É preciso informar o tipo de passe, classe, numero de passageiros e os trechos para reserva. Pra isso, usamos o site Rail Europe, que também faz reservas, mas cobra uma taxa absurda (www.raileurope.com.br). Isso é muito importante pra você saber de que estação sai o trem, o tipo e número do trem e os horários disponíveis. Total das reservas: 84,86 libras esterlinas.
 
Passados alguns dias, recebemos o passe e os tickets das reservas. Mas ainda nao acaba por ai. O passe precisa, antes, ser validado por um funcionário da Trenitalia que anota o primeiro dia em que ele será usado e a validade para a última viagem. A partir daí é você que anota cada dia que viaja até completar o número de dias do seu passe. Acabou? Ainda não. Antes de embarcar, cada ticket de reserva deve ser validado numa maquininha tipo autenticação mecânica de banco.
 




Conselhos: (1) No primeiro dia chegue com antecedência. A fila no Termini de Roma estava imensa e quase perdemos o primeiro trem. Depois é mais tranquilo pois as maquininhas são self-service e seu passe já está validado. (2) Se seu trem já estiver parado na plataforma, entre e coloque sua bagagem. Os bagageiros são pequenos e em número reduzido. Às vezes, pode-se dar a sorte de ter um funcionário para ajudar a subir as malas. (3) Viaje com pouca mala, normalmente os bageiros tem limitação de tamanho e estão acima da sua cabeça, o que significa que talvez vc precise levantar 32kgs repetidas vezes. (4) Não se atrase, os trens são super pontuais.

E aí, animado pra viajar de trem?

8 comentários:

  1. Perguntinha: as 86 libras foram por pessoa ou pros dois?

    ResponderExcluir
  2. Oi Ric,
    Que honra tê-lo aqui!!!! Este preço foi para todas as reservas (os quatro trechos) para duas pessoas, mais a taxa de entrega no Brasil.
    Bjos

    ResponderExcluir
  3. Vania Simões23/9/10 8:04 AM

    Olá! Estarei viajando para a Itália e as dicas de vocês foram maravilhosas!!Só uma perguntinha: vocês compraram o passe da Eurail aqui do Brasil? Tenho lido muitos relatos sobre a dificuldade em utilizar cartões de crédito emitidos no Brasil. Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  4. Oi Vania,
    Q bom q vc está gostando. Compramos com cartão sim e não tivemos problemas não. Compramos no www.eurail.com, não na filial brasileira. Normalmente facilita usar cartões em chip, como o Amerivan e o Diners. Uma outra opção é ligar para o seu visa ou master e avisar o site que vai fazer a compra, assim eles liberam o uso.
    Bjos!!!

    ResponderExcluir
  5. Oi Bia, obrigada por me acalmar lá no blog do Freire =) Achei os passes de trem a melhor forma de me locomover pela Itália. Obrigada mesmo!! Queria uma dica sua... preciso comprar passagens de avião para trechos internos. Mas estou com "medo" de voar pela Meridiana Fly e pela Aer Lingus, as únicas que fornecem os trechos que preciso. Que vc acha? Bjs, Amarílis

    ResponderExcluir
  6. Oi Amarílis,
    O problemas destas low costs são as malas q vc paga por fora, os atrasos e os aeroportos q costumam ser muito longe das cidades, de resto é tranquilo. São grandes distâncias? Dá p ir de trem ou de carro?
    Bjos

    ResponderExcluir
  7. Norma, 15/01/2012
    Oi Bia,
    Somos um grupo de aprox. 10 pessoas que pretendem fazer um tour pela Europa (Perugia-Florenca, Florenca-Veneza, Veneza-Genebra, Genebra-Paris) em junho deste ano, ja estamos com a parte de hoteis resolvida, contudo permanece a duvida de como fazer o trajeto interno,existem varias possibilidades, trem, onibus, aviao, ja vi inumeros relatos,mas gostaria saber se voce poderia me ajudar a fazer a melhor escolha, e a melhor empresa para reservar por aqui. Desde ja, agradeco. Bjs. Norma

    ResponderExcluir
  8. Oi Norma,
    Isso depende muito do perfil do grupo. A viagem de trem é muito legal e tem algumas vantagens como estações localizadas no centro da cidade. Em trechos mais longos, e uma pausa para descansar. Se carro for uma opcao, eu so iria no trecho entre Perugia e Florenca, por ser mais curto. Onibus nao e muito a minha praia, a nao ser que nao haja outra opcao.

    Nos trechos mais longos, entre Veneza-Genebra-Paris, só iria de trem se houvesse TGV (o trem bala). Do contrario, iria de avião pois perderia menos tempo.

    Quanto as empresas, so posso recomendar com conhecimento de causa esta que relatamos no post. Algumas pessoas optam por comprar o bilhete de trem no local, dias antes da viagem. Muitos compram no mesmo dia.

    O site Viaje na viagem tem um post bem legal sobre isso também. Vale a pena navegar pelos comentarios que tem bastante informacao. http://www.viajenaviagem.com/2007/08/europa-aviao-trem-ou-carro/

    Espero ter ajudado.

    Boa Viagem!

    ResponderExcluir