quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Vinhos húngaros

Por Gustavo Bonelli

Se nas primeiras viagens, com orçamento super apertado, tínhamos que economizar almoço pra ter jantar, hoje programamos quase tudo em função dos prazeres à mesa. E dessa última vez não foi diferente. Só por um detalhe: Budapeste, para a qual não guardávamos a menor expectativa, foi uma grata surpresa.

Com um destino pouco convencional, fizemos nosso dever de casa e pesquisamos sobre algumas possibilidades, mas mesmo assim não sabíamos ao certo o que iríamos encontrar. Além da boa comida, pra mim o grande destaque foram os vinhos. Que me desculpem os enólogos de plantão mas não imaginava as boas ofertas húngaras a preços tão bons.
           
O Vinho Famoso

Apesar de atualmente existirem vários tipos de vinhos provenientes das diferentes regiões, a Hungria tem como mais conhecido internacionalmente o famoso Tokaji (lê-se tokay)tal como o vinho do Porto está para Portugal. Trata-se de um vinho licoroso, com uma coloração acastanhada e com um elevado grau de oxidação, podendo mesmo assemelhar-se ao vinho Jerez (produzido na região de Jerez, sul da Espanha).


Tokaji Aszú

O Tokaji é envelhecido em grandes barris, sob uma película de leveduras comparáveis à flor que podemos observar no Jerez. Há vários estilos de Tokaji, com diferentes graus de doçura. Os mais doces provêm da adição ao vinho de base de uvas com elevado grau de podridão (também designada por podridão nobre), como resultado da presença de um fungo denominado Botrytis cinerea, dando origem à formação de uma massa pastosa. Esta massa adicionada ao vinho de base é armazenada em recipientes próprios chamados puttonyos (a cada puttonyos correspondem 25 kg da massa pastosa). Nos rótulos destes vinhos encontramos obrigatoriamente o número de puttonyos adicionados (varia de 3 a 6).

O vinho assim obtido é então loteado e envelhecido em barris de madeira durante vários anos. Tal como o vinho do Porto Vintage, produzido a partir de uvas cultivadas em um ano de excepcional qualidade, o Tokaji Essencia reflete também este fato, já que é produzido a partir de colheitas de elevada qualidade, sendo aquele que apresenta, por outro lado, um grau de doçura mais elevado.

Podemos ainda encontrar outro tipo de Tokaji, designado por Szamorodni, que é obtido a partir de uvas que foram só parcialmente afetadas pela Botrytis cinerea.

Outros Vinhos

Em relação aos vinhos tintos, a principal região vitivinícola localiza-se a noroeste, designada por Villány-Siklós. É uma zona que, por estar rodeada por um conjunto de montanhas, permite a existência de um microclima similar ao mediterrâneo.


Vinho Olaszrizling, região de Villányi

Os vinhos tintos aí produzidos são de elevados teores alcoólicos, encorpados e capazes de um envelhecimento mais ou menos acentuado. As castas mais utilizadas nesta região são Kadarka, Blue Portugais (consideradas castas tradicionais), Merlot, Blue-Frankish, Zweigelt, Cabernet Franc e Cabernet Sauvignon.

4 comentários:

  1. Caro Gustavo, excelente dica sobre vinhos, estaremos em Budapeste durante 3 dias, fico aqui no aguardo de dicas sobre o que fazer na cidade.
    Abraços,
    Joe.

    ResponderExcluir
  2. Pode deixar Joe. Quando vcs viajam?

    Abs.

    ResponderExcluir
  3. Luiz Barbui30/3/11 10:25 AM

    Caro Gustavo.
    Sou Brasilerio e moro na Hungria.
    Represento Algumas Vinicolas Hungaras e tenho o prezer de lhe infomar que o primeiro grande Hungaro de Villany ja esta disponivel no Brasil. Sao os vinhos da GERE e podem ser encontrados da Decanter.
    Sao varias regioes viniculas na Hungria, principalmente os tintos das regioes de Eger e Sekszard alem dos Brancos da regiao de Pannonhalmi. Espero introduzir alguns desses ainda esse ano no Brasil.
    Abracos
    Luiz

    ResponderExcluir
  4. Ola Luiz,

    Otima noticia! Agora ficara ainda mais facil a gente apreciar os vinhos hungaros.

    Abs

    ResponderExcluir