segunda-feira, 10 de maio de 2010

Dicas de Paris - Parte II (Tour em Champagne)


























Continuando o post, nos optamos por visitar a Moet Chandon e a Veuve Cliquot. A primeira por que foi a responsavel pela criacao da bebida e a segunda por que era a que eu mais gostava, e ainda descobri a historia da viuva Cliquot, que e o maximo.


A descoberta foi por acaso, Dom Pérignon (patriarca da Moet Chandon) havia esquecido algumas garrafas de vinho com resíduos de açúcar e, quando viu que elas estavam estourando, provou o vinho e alardeou :" Venham rápido, estou bebendo estrelas!" - estava criada uma das bebidas mais fashion. Por isso a champagne vintage da Moet chama-se Dom Perignon.


Vintage? Isso! O champanhe cuvée ou vintage significa que ele foi produzido com uvas especiais de um ano especialmente bom o que lhe dá uma característica especial sobre os demais champanhes: a estampa do ano (safra) no rotulo. Por essa razão é que não existem champagnes vintage todos os anos como acontece com os vinhos não efervescentes. A maioria dos champanhes, por outro lado, são produzidos por uma mistura de uvas colhidas em anos diferentes. A ultima vintage da Moet foi em 2000, para vcs terem uma ideia. E por isso que e caro!!!


A grande vantagem da Veuve Clicquot e que vc pode experimentar a vintage deles, que em homenagem a sua matriarca se chama La Grand Dame. O melhor de tudo foi descobrir a historia da Mme. Cliquot. Aqui vai um resumo de acordo com a revista epoca


Casada com um promissor fabricante de vinhos, a vida da francesa Barbe-Nicole Clicquot estaria confinada entre a sala de estar e a cozinha – como ocorria com a maioria das mulheres no início do século 19. Mas uma repentina febre tifoide atacou o marido, que morreu em 15 dias. Ela tinha apenas 27 anos.
Sem nenhuma educação formal para negócios, mas com uma filha para criar, Barbe-Nicole decidiu assumir a vinícola familiar e defendê-la como um buldogue. “Ela inclusive se parecia com um”, diz Tilar Mazzeo, autora do recém-lançado A Viúva Clicquot, livro que relata a história de como a francesa foi responsável pelo sucesso do champanhe Veuve Clicquot. “Poucos tinham esperança de que ela conseguiria um segundo marido. Por isso, quando quis assumir os negócios, não encontrou oposição”, diz Tilar.
Seus vinhos suaves e borbulhantes caíram nas graças dos soldados estrangeiros que lutavam na França. Ao regressarem a seus países de origem, ajudaram a criar a fama da bebida, que se espalhou pela Europa. Logo Barbe-Nicole tornou-se uma das mulheres mais influentes e ricas da época. Segundo Tilar, a fundadora do império Clicquot foi uma mulher vanguardista, que colocou em prática lições que hoje fazem parte da cartilha do mundo dos negócios, como tornar um produto o representante de sua categoria. Durante muito tempo, pedir por “uma garrafa de viúva” foi sinônimo de pedir champanhe. Essa alcunha de viúva, aliás, correspondeu à vida real. Barbe-Nicole morreu aos 89 anos sem jamais voltar a se casar.


Com uma grande intuição, Madame Clicquot criou em 1816 a primeira tábua de revirar, permitindo inclinar as garrafas de modo a deslocar os detrimentos de cada uma – chamado methode champenoise . Finalmente com sua champagne perfeitamente límpida, tornou-se um vinho ainda mais nobre, poi santigamente ele nao era branco, era meio acinzentado. Com o tempo outros produtores em champagne acabaram introduzindo a criação de Madame Clicquot em seus processos. Ela tambem foi a responsavel pela criacao do champagne rosado (rose).


Segundo o guia de la ela foi a unica a conseguir furar o bloqueio continental de Napoleao e vender para a Inglaterra. O que e bem engracado, pois o guia da Moet Chandon comentou que Napoleao era amigo pessoal da familia Moet Chandon e sempre se abastecia de suas champagnes para coemmorar vitorias ou amenizar derrotas, como afirma em sua conhecida frase - "Nas vitórias é merecido, nas derrotas, necessário".


Alguem discorda?


A Cliquot continua inovando, como vimos na visita. A casa convidou ninguém mais ninguém menos que Karim Rashid, que criou o Love Seat, uma poltrona para degustar a bebida a dois. Fashion como a bebida!




ps. nas fotos o equipamento inovador da viuva e a cadeira Love seat

Nenhum comentário:

Postar um comentário