domingo, 30 de outubro de 2011

Jerusalém - Monte das Oliveiras

Por Gustavo Bonelli

Com o passar do tempo, toda a energia religiosa presente na cidade vai aos poucos tomando conta de você, por menos fé que voce tenha. A segunda razão que faz de Jerusalém uma cidade intrigante é exatamente isso: perceber como são diversas e ao mesmo tempo universais as manifestações de fé.

Na parte da tarde, programamos o tour ao Monte das Oliveiras. Esse talvez seja o mais importante de se fazer com guia porque fica fora da Cidade Antiga. No horário marcado para começar, o grupo se reuniu e nosso guia nos levou até o ponto onde pegaríamos uma van até o local onde o passeio começa: a Capela da Ascensão.

A Capela da Ascensão é um local sagrado para cristãos e muçulmanos e foi construída sobre o local de onde Jesus teria subido aos céus após sua ressurreição. Originalmente era uma estrutura aberta, mas a arquitetura foi alterada com a construção de uma cúpula fechada, resquício do domínio árabe em Jerusalém, tendo servido como mesquita por cerca de 300 anos. Hoje em dia pertence aos muçulmanos.

Capela da Ascensão

Pegada deixada por Jesus
 

Seguimos de lá para a Igreja do Pai Nosso (Church of the Pater Noster). Essa Igreja foi construída em torno da gruta onde se acredita que Jesus ensinou a oração aos seus discípulos. Há muitos painéis com o Pai Nosso escrito em diversas línguas.

Igreja do Pai Nosso

Gruta onde foi ensinada a oração

Painéis com a oração em várias línguas


Andando um pouco mais, chegamos ao cemitério judeu, que existe há cerca de 3000 anos. São mais de 150.000 tumulos e, segundo nosso guia, a última pessoa a ser enterrada ali teve que desembolsar USD 2 milhões para garantir seu lugar na primeira fileira da ressurreição. Os judeus tem como costume colocar pedras sobre os túmulos ao invés de flores pois elas simbolizam a eternidade. Quando o Messias chegar, ressucitará os mortos no dia do Juizo Final. Para orientar sua caminhada até o Monte do Templo, todos estão enterrados com os pés voltados para lá.



Ao invés de flores, pedras


O local que visitamos em seguida, o Santuário Dominus Flevit, é onde está localizada a Igreja Dominus Flevit construída em 1954 com o desenho de uma gota, criado pelo arquiteto Antonio Barluzzi para simbolizar as lágrimas de Jesus. Segundo a Bíblia, neste local ele teria chorado ao prever a destruição de Jerusalém (associa-se a destruição pelos romanos no ano 70).

Vista do Dominus Flevit

Descendo mais um pouco, visitamos o Getsemane e a Igreja de Todas as Nações. A Igreja, originalmente chamada Basilica da Agonia, foi construída sobre a rocha onde Jesus teria rezado na noite de sua prisão e fica ao lado do jardim de Getsemane.

O Jardim


A Pedra


A Igreja


Por último, visitamos o túmulo de Maria que fica numa Igreja construída numa caverna na época das Cruzadas. 


Túmulo de Maria

Lá em cima, a entrada

Nenhum comentário:

Postar um comentário